E MESMO ASSIM

E mesmo assim depois de o todo prevalecer
Caio por terra tentando fugir de mim mesmo
E em cada experimento falho e insuficiente

Me anulo, quase esquecendo do que me melhora
Em um catálogo de erros manuscrito com teorias
Essas tais que poderiam ser a melhor escolha ou não

Viram poeira e se perdem no caminho do vento
E mesmo assim continuo em mim, acreditando
Dando crédito ao que meu sentimento julga digno

Por vezes falha, pois preciso ter minha cota de humano
O fel em cada desculpa já é velho amigo
Por estar sempre ao meu lado

VIVO AINDA

Rabisco meus pensamentos 
Enquanto meu silêncio desenha uma canção
Carregando uma mensagem sublime do que vivo
Lembrando o que é alguém para mim e em mim
Uma lição para ser humilde

Aprenda ser humilde em você pó
Aprenda ser humilde em você barro
O poder e ouro são apenas aquilo
Que não irão com a alma

Agradeça esta vida e esta respiração
Seja grato por ter um espírito
Lembre-se que somos cadáveres adiados
E a terra engolirá essa carne e ossos
 
Não seja vão com tudo que está ao seu lado
Nem muito orgulhoso por sua beleza passageira
Faça seu caminho com reverência e honestidade
Enquanto ainda toca a música de uma vida

SONHO ENTRECORTADO

Quando o lume do frio astro abre a noite
E quando corações vêem a real magia em chamas
Veleje seus sonhos os que gostam de marés de sedução
Lenços cobrindo sorrisos e expondo de olhos penetrantes
Deixe o amor cravar suas raízes
Em sua alma arredia

A noite traz ventos de Vênus ao redor de mim
Ventos azuis que semeiam semente de jasmim
Conexões reais existiam entre o nosso e o seu mundo
Antes mesmo que sangue fluísse de pedras
Nós somos a canção de uma liberdade eterna
Eu vi o futuro é ele é mais antigo do que parece

Dance hoje como redemoinhos de amor
Ria com o crepúsculo e até que flores cresçam
Ouça essa música aveludada como o longo cabelo dela
Dobre os joelhos e renda-se ao extremo
Ser tão jovial lhe arranca um grito
A noite é sábia e ela se move
Como uma fonte lenta de amor